No menu items!
27.5 C
São Paulo
quarta-feira, 12 junho, 2024

Programa cria jardins em meio a avenidas movimentadas

Cidade de São Paulo já teve 35 intervenções em canteiros, parques, praças e calçadas

Um projeto realizado pela Secretaria Municipal das Subprefeituras (Smsub) busca transformar a paisagem paulistana com novos gramados, arbustos e flores em canteiros, pequenos parques, praças e calçadas. As obras do FLOReCIDADE são realizadas principalmente em vias com grande circulação, caso das marginais Tietê e Pinheiros e das avenidas Rebouças, Jabaquara e dos Bandeirantes.

Desde 2019, a iniciativa já transformou 35 locais em grandes vias da capital, criando mais de 851 mil metros quadrados de jardins e áreas de paisagismo e reformando mais de 28 mil metros quadrados de calçadas.

O projeto utiliza o paisagismo para planejar um novo desenho da área urbana, com etapas de correção do solo, adubação, plantio de mudas, despraguejamento e poda de árvores. Reorganizando canteiros e praças, o serviço complementa o que já é realizado pelas subprefeituras no que diz respeito à manutenção de praças e áreas verdes com corte de grama, roçada e poda de árvores.

O objetivo do projeto é integrar ambientes naturais à cidade de forma a causar impactos positivos, como a melhora da qualidade do ar e a criação de locais mais agradáveis. Forrações com flores, por exemplo, criam atrativos para insetos e pássaros, aumentando, assim, a quantidade de animais silvestres em determinadas áreas da cidade.

Cerca de 18 equipes, com 10 funcionários cada, atuam no FLOReCIDADE, em serviços que são divididos em implantação, manutenção e conservação. Na implantação, é realizado o preparo do solo, adubagem, plantio e a irrigação das plantas. Nas etapas de manutenção e conservação, é feita a irrigação, adubação de manutenção, poda de ramos, corte de grama e roçada.

Pesquisa

Antes da instalação de novos pontos do projeto, a SMSUB realiza pesquisas e análises para determinar a espécie de planta mais apropriada para cada local, analisando se elas precisam ser mais tolerantes ou à sombra ou à falta de água, por exemplo.

As selecionadas costumam ser as mais resistentes às condições externas, pragas, poluição e doenças, como grama-amendoim, grama-esmeralda, azaléias, dracenas, moréias e costelas-de-adão. Desde o início do projeto, já foram plantadas 744 mil mudas de plantas.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

Esclerose Múltipla: Diversidade de sintomas iniciais pode dificultar diagnóstico

Doença não é fator limitante para projetos pessoais e...

Escola Politécnica desenvolve chipset inovador para Internet das Coisas

Dispositivo coloca o Brasil na mesma página da tecnologia...

Esclerose Múltipla: Diversidade de sintomas iniciais pode dificultar diagnóstico

Doença não é fator limitante para projetos pessoais e profissionais, incluindo a gravidez A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença autoimune e neurodegenerativa, que afeta...

ARTIGO | Dia Mundial do Meio Ambiente: Restauração de terras, desertificação e resiliência à seca

A iniciativa Nutrientes para a Vida se une, nesse dia 5 de junho, a milhões de pessoas em todo o mundo para celebrar o...

Escola Politécnica desenvolve chipset inovador para Internet das Coisas

Dispositivo coloca o Brasil na mesma página da tecnologia global, de acordo com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação A USP anunciou um chipset...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui