No menu items!
15.2 C
São Paulo
segunda-feira, 27 maio, 2024

Hospital Veterinário Público da Zona Sul adota novo modelo de atendimento para casos não emergenciais

Às segundas-feiras, das 14h às 16h, unidade agenda consultas para a semana seguinte


O Hospital Veterinário Público da Zona Sul já adotou um novo modelo de atendimento para casos não emergenciais de cães e gatos. Toda segunda-feira, das 14h às 16h, a unidade, localizada na Rua Agostino Togneri, 153, Jurubatuba, estará de portas abertas para fazer o agendamento dos atendimentos para a semana seguinte, mediante disponibilidade de vagas.

Quando houver feriado, o agendamento acontece no primeiro dia útil subsequente. Nessa etapa, o tutor não precisa levar o animal, porém, se houver dúvida sobre a gravidade da condição clínica do cão ou gato, a indicação é que leve para avaliação. Uma vez agendado, basta o tutor retornar ao hospital com o animal no dia e horário definidos. O munícipe poderá agendar um paciente (para primeiro atendimento) por vez, e até dois pacientes por mês, respeitando o limite previsto em legislação de animais por domicílio.

A unidade Norte, uma das quatro administradas pela Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico (Cosap), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), foi a primeira a implantar o sistema às quartas-feiras, em seguida, a unidade Leste iniciou a modalidade às terças-feiras e, agora, na região Sul às segundas-feiras.

O serviço prestado pelos hospitais veterinários públicos é exclusivo à população de baixa renda residente na cidade de São Paulo. “O serviço oferecido pela Prefeitura de São Paulo serve de referência para todo país. Infelizmente nem todos os demais municípios oferecem serviço similar ao nosso e muitos tutores se deslocam para a capital de forma equivocada, na expectativa de serem atendidos”, destaca Daniel Leite, diretor da Divisão de Hospitais Veterinários Públicos.

Documentos necessários, tanto no dia do agendamento quanto no dia do atendimento, o tutor deve apresentar: Registro Geral do Animal (RGA), documento constando foto, Cadastro de Pessoa Física (CPF), Comprovante de endereço, Comprovante de cadastro em programa social, se houver.

O RGA é obrigatório por lei no município de São Paulo a todos os cães e gatos com idade superior a 3 meses. O documento, que funciona como uma carteira de identidade para o animal de estimação, apresenta dados do pet e informações sobre o tutor.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

Doença Inflamatória Intestinal: médica fala sobre principais sintomas e tratamentos

Biossimilares são fundamentais para ampliação do acesso a tratamentos de qualidade O Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal (DII), celebrado em 19 de maio, marca...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui