Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1 será mais sustentável neste ano

0
20

No evento serão compensadas as emissões de carbono, haverá redução do consumo de plástico em 60% e uma estação de compostagem, além de parcerias com cooperativas da região para reciclar e destinar os resíduos


O Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1 vai inserir cerca de R$ 700 milhões à economia da cidade e atrair 170 mil pessoas nos três dias da competição esportiva. Essa é a previsão do prefeito Ricardo Nunes em entrevista coletiva nesta quarta-feira (3).

“Milhões de pessoas, de 180 países, assistirão ao GP São Paulo, fortalecendo a marca da cidade cosmopolita no mundo inteiro. A capital mundial da vacina também tem a vocação permanente para grandes eventos como a Fórmula 1 e, neste ano, serão adotadas ações sustentáveis para reduzir o impacto ambiental gerado pelo evento”, disse o prefeito.

De acordo com o secretário municipal de Habitação, Orlando Faria, a Fórmula 1 vai incrementar os setores de serviços e comércio e gerar R$ 1,6 bilhão em imagem à cidade.

“Cada R$ 1 investido pela Prefeitura renderá R$ 5,20 à cidade, a cada ano”, completou Ricardo Nunes.

Um estudo da Fundação Getúlio Vargas estima que a corrida de 2021 deve gerar cerca de 8 mil empregos temporários na cidade diretamente relacionados à competição e promover, também, o aquecimento de diversos setores econômicos, como os de turismo e de eventos.

Segundo o CEO do Grande Prêmio São Paulo, Alan Adler, em termos de sustentabilidade, no evento serão compensadas as emissões de carbono, haverá redução do consumo de plástico em 60% e uma estação de compostagem, além de parcerias com cooperativas da região para reciclar e destinar os resíduos.

“Sem o apoio da Prefeitura e da cidade não teríamos condições de realizar o GP em São Paulo e ter essa beleza de autódromo pronto para o evento. A capital está investindo muito, mas terá um retorno bem maior com o produto Fórmula 1, mesmo porque é a única cidade da América do Sul a sediar a corrida”, disse Adler.

Obras

Para atender as exigências da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e fazer com que o Autódromo de Interlagos siga dentro dos padrões da F1 a Prefeitura de São Paulo, por meio da SPObras, da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), investiu R$ 10,5 milhões em intervenções que tiveram início em 27 de agosto e a previsão de término é em 27 de fevereiro.

“O serviço que está sendo feito no autódromo tanto é para a F1 como para as demais competições automobilísticas e eventos de entretenimento que ocorrem no local”, explicou o prefeito.

Entre as melhorias, estão em execução a recuperação do pavimento e o recapeamento asfáltico da pista em pontos localizados, além da adequação e complementação da sinalização horizontal e vertical do Circuito. Também está em andamento a revisão geral e adequação dos dispositivos de proteção e segurança. Entre os elementos que passaram por manutenção estão 1.200 metros de defensas metálicas (guard-rails), 400 metros de novas barreiras de pneus e 1.500 metros de barreiras readequadas, demolição e reconstrução das lavadeiras (zebras) 6 e 7 totalizando 100 metros, e pintura com tinta antiderrapante em 30 mil m² em áreas de escapes.

As obras incluem, ainda, serviços gerais de manutenção predial nas instalações permanentes, que consistem no conjunto de edificações e demais estruturas existentes no Autódromo, como o Centro de Transmissão de TV, Centro de Controle Operacional, Centro de Mídia, arquibancadas setores (A, B, Pit Stop e M), Boxes e no Hospital. Além de revisões em instalações elétricas e hidráulicas, sistema de combate à incêndio, pintura, pisos, revestimentos, vidros, elevadores, cercas, alambrados e portões.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.