No menu items!
18.7 C
São Paulo
segunda-feira, 22 julho, 2024

Proteção ambiental e mitigação de tragédias naturais dependem da tecnologia, mas ela precisa se popularizar

Preservação de biomas, monitoramento de áreas naturais, combate a crimes ambientais, tecnologias disponíveis, dentre outros assuntos foram abordados no 2º Encontro Nacional de Usuários RedeMAIS 2024.

A proteção do meio ambiente e a mitigação de tragédias naturais são dois grandes desafios que o mundo – e o Brasil – precisa superar. Mas, para isso, torna-se fundamental ampliar e popularizar a utilização da tecnologia, em especial o uso do monitoramento via satélite e dos alertas de detecção de mudanças ambientais.

Essa foi a conclusão do primeiro dia do 2º Encontro Nacional de Usuários RedeMAIS, realizado na terça-feira (18), em Brasília, que contou com a presença de diversas autoridades, especialistas, representantes de órgãos ambientais e de segurança pública, dentre outros.

“Utilizar a tecnologia satelital é muito caro, o que limita o seu uso. Entretanto, a RedeMAIS veio para quebrar esse paradigma, pois ela permite que as instituições públicas, em todos os níveis, tenham acesso a essa tecnologia”, explica o perito criminal federal da Polícia Federal e Gestor do Programa Brasil MAIS, Cristiano da Cunha Duarte.

O Programa Brasil MAIS (Meio Ambiente Integrado e Seguro) é um dos projetos estratégicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), da Polícia Federal e do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por meio da RedeMAIS, são disponibilizadas, via Plataforma Web, o acesso e o compartilhamento das imagens de satélites diárias de alta resolução, adquiridas pela constelação PlanetScope e alertas de detecção de mudanças, a partir de contrato firmado entre a Polícia Federal e a SCCON Geospatial.

No evento, mais de 120 instituições, entre elas IBAMA, Polícias Ambientais, INCRA, ICMBio, dentre outras, puderam apresentar como estão utilizando a tecnologia no combate de crimes ambientais, fiscalização e, até mesmo, apoio em caso de desastres naturais, como os que atingiram o Rio Grande do Sul, em maio.

“A RedeMAIS permite uma ampliação das oportunidades para as instituições, mesmo em regiões com grande restrição orçamentária. Com a tecnologia, há um aumento da eficiência, uma melhor articulação estratégica e uma maior facilidade para desenvolver projetos juntos”, explica Iara Musse Felix, CEO da SCCON Geospatial, empresa que fornece os alertas.

O assunto ganhou tanta relevância que o próprio Ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, participou da abertura e declarou que “ A única forma de enfrentarmos os desafios climáticos é usando a ciência e a tecnologia”.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected] 

- Patrocinado -

Últimas

Com ritmo atual, universalização do saneamento ocorrerá em 2070

São 37 anos de atraso em relação ao marco...

Governo de São Paulo lança campanha para reduzir mortes de pedestres

Campanha educativa com o filósofo e professor Clóvis de...

Festival do Japão atrai 200 mil pessoas em São Paulo

Evento contou com apresentações, comidas típicos e produtos artesanais No...

Com ritmo atual, universalização do saneamento ocorrerá em 2070

São 37 anos de atraso em relação ao marco legal brasileiro Pesquisa do Instituto Trata Brasil, divulgada na segunda-feira (15), mostra que a universalização do...

Governo de São Paulo lança campanha para reduzir mortes de pedestres

Campanha educativa com o filósofo e professor Clóvis de Barros Filho destaca a importância do respeito à faixa de segurança Nos últimos cinco anos, 33.531...

Festival do Japão atrai 200 mil pessoas em São Paulo

Evento contou com apresentações, comidas típicos e produtos artesanais No segundo final de semana de julho, mais de 200 mil pessoas visitaram o 25º Festival...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui