No menu items!
27.5 C
São Paulo
quarta-feira, 12 junho, 2024

Voluntariado Einstein cria programa de apoio pedagógico para reforçar alfabetização em Paraisópolis

O projeto de suporte pedagógico atende 300 crianças de forma online e presencial e conta com a participação de educadores, psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos e voluntários


A pandemia obrigou o fechamento de escolas para evitar a disseminação do novo coronavírus, afetando de maneira profunda o aprendizado. Assim, com o intuito de reverter esse cenário e oferecer suporte aos alunos, o Voluntariado e Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis (PECP) realiza um projeto de apoio pedagógico destinado a estudantes e que hoje já conta com 300 crianças e jovens participantes.

Intitulado Programa de Apoio Pedagógico do Núcleo de Educação do PECP, o trabalho conta com a participação de educadores, psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos, voluntários e parceiros do PECP, que estão atendendo crianças e jovens de forma virtual e presencial. Além do acompanhamento de tarefas escolares, a iniciativa visa apoiar aqueles que apresentam dificuldades pedagógicas e reforçar a alfabetização desses alunos.

Para compreender a realidade desses estudantes e antes de iniciar o trabalho, o PECP realizou uma pesquisa com as famílias integrantes do seu Núcleo de Educação e constatou que 70% das crianças da rede estadual e 59% da municipal não haviam acessado a plataforma de ensino das escolas. Isso evidenciou a necessidade urgente de se criar meios para acompanhar o percurso de estudo dos alunos.

“Sabemos que as dificuldades socioeconômicas estão presentes no cotidiano dos alunos da região, o que também inclui o acesso a recursos tecnológicos, por isso queremos colaborar com a inclusão digital e com a melhora da educação”, conta Telma Sobolh, presidente do Voluntariado Einstein e idealizadora do PECP. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de Tecnologia da Informação e Comunicação, há no Brasil cerca de 70 milhões de pessoas com acesso precário à internet ou sem nenhum acesso, e 46 milhões de brasileiros que nunca acessaram a rede.

O trabalho para apoio online e presencial das atividades escolares dos estudantes começou no início da pandemia em 2020, quando foram implantadas novas ações com a equipe multiprofissional do PECP e alguns voluntários com o objetivo de detectar as necessidades dos beneficiários do programa.  “A ideia é colaborar para o aprendizado desses estudantes, principalmente nesse momento difícil que estamos vivendo, adicionando ao programa várias opções de oficinas que possam dar suporte às aulas e evitar a evasão escolar”, finaliza a presidente.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

Esclerose Múltipla: Diversidade de sintomas iniciais pode dificultar diagnóstico

Doença não é fator limitante para projetos pessoais e...

Escola Politécnica desenvolve chipset inovador para Internet das Coisas

Dispositivo coloca o Brasil na mesma página da tecnologia...

Esclerose Múltipla: Diversidade de sintomas iniciais pode dificultar diagnóstico

Doença não é fator limitante para projetos pessoais e profissionais, incluindo a gravidez A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença autoimune e neurodegenerativa, que afeta...

ARTIGO | Dia Mundial do Meio Ambiente: Restauração de terras, desertificação e resiliência à seca

A iniciativa Nutrientes para a Vida se une, nesse dia 5 de junho, a milhões de pessoas em todo o mundo para celebrar o...

Escola Politécnica desenvolve chipset inovador para Internet das Coisas

Dispositivo coloca o Brasil na mesma página da tecnologia global, de acordo com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação A USP anunciou um chipset...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui