No menu items!
20.7 C
São Paulo
segunda-feira, 22 abril, 2024

Volta às aulas: educação financeira passa a ser obrigatória em São Paulo

Nova disciplina promete contribuir para uma diminuição do endividamento dos brasileiros, a longo prazo


Mais de 3 milhões de alunos voltaram às aulas nas escolas da rede estadual de São Paulo na 2ª quinzena de fevereiro, segundo a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP). E o ano letivo começa com algumas novidades na grade curricular, dentre elas a inclusão do ensino de educação financeira. A obrigatoriedade passa a valer para os anos finais do ensino fundamental 2 (6° a 9° ano) e das três séries do ensino médio. A medida faz parte da reformulação do ensino médio promovido pela Secretaria de Educação (Seduc-SP) para 2024 e de uma ação nacional do Ministério da Educação (MEC), que deve chegar às escolas de todo o país em breve.

Para a educadora financeira Aline Soaper o aprendizado financeiro ainda na infância é uma ferramenta de transformação para minimizar o problema crônico de endividamento dos brasileiros. A nova medida na grade escolar ainda vai de encontro com a ação do Banco Central, que acabou de determinar que as instituições financeiras promovam ações de educação financeira a seus clientes, em 2024.  O objetivo é promover a consciência para melhorar a saúde financeira de toda a população.

As duas normas fazem parte de uma série de decisões do governo para diminuir o endividamento das famílias brasileiras. Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPCBrasil) mostraram que o país tem 66,57 milhões de consumidores inadimplentes, uma alta de 3,55% frente ao mesmo mês de 2022. O crescimento foi de 0,54% em comparação com outubro de 2023.

Dentre brasileiros adultos, 40,65% estavam negativados no 11º mês de 2023. Entre o recorte por gênero, as dívidas avançaram entre o público feminino, sendo 51,13% mulheres contra 48,87%homens. Ainda segundo o levantamento, o número de devedores com participação mais expressiva em novembro está na faixa etária de 30 a 39 anos (23,75%). São 16,54milhões de pessoas registradas em cadastro de devedores nesta faixa, ou seja, quase metade (48,54%) dos brasileiros desse grupo etário estão negativados.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

ARTIGO | Inteligência Artificial Transformando cidades

O movimento colaborativo de compartilhamento de informações tecnológicas entre as cidades brasileiras, incluindo códigos-fonte de programação, começou em 2021 com a criação da ANCITI...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui