Veja a cidade:

Ocorrências por intolerância religiosa duplicou na Capital Paulista entre 2020 e 2021

O preconceito mais comum está nas religiões oriundas da África


Segundo dados revelados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), o Estado de São Paulo duplicou o número de casos registrados como intolerância religiosa entre os anos de 2020 e 2021, número é o triplo, se comparado com o ano de 2016.

Foram 15.296 registros feitos somente no ano de 2021, contra 7.176 casos registrados em 2020, já o ano de 2016, primeiro ano que a Polícia passou a contabilizar dados de intolerância religiosa, foi registrado 5.214 casos.
O dado também é preocupante na Capital Paulista, onde somente na cidade foram registrados 5.963 casos em 2021, liderando o ranking em todo o Estado. Guarulhos (582), Campinas (482) e Ribeirão Preto (360) formam as cidades com mais casos.

Dentre os registros, cerca de 62% dos casos declararam que são de religiões oriundas da África, como Umbanda e Candomblé. Evangélicos representam 9,8% dos casos e católicos 4,8%.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

JORNAL VER A CIDADE – ANO 3 – EDIÇÃO 37 – Maio de 2022

https://issuu.com/jornalveracidade/docs/edi_o_ver_a_cidade_21.05.22_web

Educação volta a promover festivais de Xadrez com disputas presenciais

A partir desta quarta-feira (11) até o dia 30...

Realizada audiência pública sobre transporte escolar gratuito

Principal reclamação se deve a questão financeira A CCJ (Comissão...

JORNAL VER A CIDADE – ANO 3 – EDIÇÃO 37 – Maio de 2022

https://issuu.com/jornalveracidade/docs/edi_o_ver_a_cidade_21.05.22_web

Educação volta a promover festivais de Xadrez com disputas presenciais

A partir desta quarta-feira (11) até o dia 30 de junho ocorrem os Festivais de Xadrez na Rede Municipal de Ensino. É a 14ª...

Realizada audiência pública sobre transporte escolar gratuito

Principal reclamação se deve a questão financeira A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa), realizou no sábado (7/5) uma Audiência Pública para debater...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui