No menu items!
19.4 C
São Paulo
sexta-feira, 24 maio, 2024

Governo de SP desiste de ampliar horário do comércio, de novo, por causa do alto número de casos de Covid-19

Inicialmente, a ideia era ampliar o horário das atividades em 1º de junho. Depois, mudou-se para o dia 14. Mas, na última quarta-feira (9), o governador João Doria anunciou que até 30 de junho os estabelecimentos comerciais funcionam das 6h às 21h, com 40% de ocupação


Pela segunda vez, o Governo de São Paulo desistiu de ampliar a flexibilização do comércio e não aumentar o horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais.

Inicialmente, a ideia era ampliar o horário das atividades em 1º de junho. Depois, mudou-se para o dia 14. Mas, na última quarta-feira (9), o governador João Doria anunciou que até 30 de junho os estabelecimentos comerciais funcionam das 6h às 21h, com 40% de ocupação.

“Devido ao aumento dos índices da pandemia, sobretudo em algumas áreas localizadas aqui do Estado de São Paulo, o Centro de Contingência decidiu prorrogar por mais duas semanas a atual fase de transição. É uma medida de cautela e de proteção de vidas, e temos a certeza de que estamos evoluindo de forma segura nas próximas semanas”, afirmou Doria.

Atualmente, o Estado de São Paulo tem mais de 11 mil pessoas internadas em decorrência da Covid-19. Esse número já ultrapassa a marca estipulada pelo próprio Governo paulista como limite da 3ª onda da pandemia.

“A avaliação é de que esse momento é distinto daquele. Em abril nós chegamos a 13 mil pacientes internados em UTI, hoje estamos com 11.189. A curva de proporção de aumento de internações hoje é muito distinta da que vimos de fevereiro até abril. Naquele período, chegamos a ter até 3% de aumento em novas internações de um dia para o outro. Hoje, temos um aumento progressivo de cerca de 0,5% ao dia. Ou seja, um aumento muito mais lento. É uma situação tensa, que preocupa, que faz com que estejamos acompanhando todos os dias, mas não é uma situação que consideramos fora de controle. Não há uma perspectiva de colapso, embora a situação seja preocupante. Nesse sentido, a gente espera que sejam mantidas as medidas de isolamento e o avanço da vacinação”, explica Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência contra o Coronavírus.

E, para auxiliar estabelecimentos comerciais que enfrentam a crise econômica, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico anunciou que 600 mil comércios com consumo de até 100 m³ por mês serão beneficiados com a não suspensão do fornecimento de água pela Sabesp e um programa de renegociação de débitos.

Esses benefícios valem até o dia 31 de agosto, com prazo de parcelamento das dívidas em 12 meses.


SUGESTÕES DE PAUTA[email protected]

FOTOLaura James no Pexels

- Patrocinado -

Últimas

Saiba como doar parte do Imposto de Renda para ajudar vítimas da cheia

Quem já entregou documento este ano pode fazer declaração retificadora Divulgação Foto Agência Brasil Além das doações diretas de água, mantimentos e roupas ao Rio Grande...

No Vaticano, Ricardo Nunes fala da necessidade de comprometimento dos governantes no combate às mudanças climáticas

Prefeito de São Paulo é um dos 20 prefeitos em todo o mundo convidados pelo Papa Francisco a falar de ações de sustentabilidade Em sua...

Cia. Madeirite Rosa apresenta espetáculo infanto-juvenil “Pro Mundo Virar” no Capão Redondo

De forma sensível e poética, o espetáculo convida crianças e adolescentes a refletirem sobre presentes no cotidiano A Cia. Madeirite Rosa (@madeiriterosa ) está realizando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui