No menu items!
24.7 C
São Paulo
segunda-feira, 22 julho, 2024

Campanha Junho Laranja alerta para os sintomas da leucemia

Popularmente conhecida como “câncer no sangue”, em fases iniciais a doença pode apresentar sinais inespecíficos, que se confundem com situações do cotidiano; avaliação com especialista é fundamental.

A leucemia é um tipo de câncer que afeta a produção de células sanguíneas na medula óssea, especificamente os glóbulos brancos, essenciais para a defesa do organismo. Costuma afetar ainda a produção das outras séries do sangue como os glóbulos vermelhos e plaquetas.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é de 11,5 mil novos casos de leucemia por ano no Brasil durante o período de 2023 a 2025.

A doença compromete a capacidade do corpo de combater infecções, o que torna seu diagnóstico precoce fundamental para aumentar as chances de tratamento bem-sucedido. Um ponto de atenção é justamente a identificação dos sintomas, que em muitos casos são inespecíficos e podem ser confundidos com condições comuns do dia a dia.

“São situações como cansaço extremo ao realizar pequenas tarefas, palidez, sangramentos, especialmente na gengiva ou nariz, aparecimento de manchas roxas espontâneas na pele, perda de peso repentina e infecções recorrentes.”, explica Pedro Neffá, hematologista do Hospital São Luiz Itaim, da Rede D’Or.  Nos casos agudos, há uma notável redução dos glóbulos vermelhos (anemia) e das plaquetas. Identificar esses sintomas precocemente garante o sucesso do tratamento.

O alerta acontece em meio à campanha Junho Laranja, uma iniciativa de conscientização sobre doenças hematológicas, com foco especial em anemia e leucemia.

A leucemia é classificada em pelo menos quatro tipos principais, afetando todas as idades. A leucemia linfoblástica aguda é mais comum em crianças, enquanto a leucemia mieloide aguda geralmente afeta adultos entre 50 e 60 anos.

Já a anemia é uma condição caracterizada pela deficiência de glóbulos vermelhos saudáveis ou de hemoglobina no sangue. A condição pode ser causada por fatores como deficiência de ferro ou vitaminas, doenças crônicas, perda de sangue, distúrbios da medula óssea, entre outras, e o tratamento varia de acordo com a causa identificada.

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico inicial da leucemia é realizado através de exames de sangue, como o hemograma. O tratamento inclui combinações de quimioterapia que podem ser administradas via oral ou injetável, hemotransfusões e uso de antibióticos. Para pacientes com maior risco de recidiva, o transplante de medula óssea é uma opção, podendo o doador ser um familiar ou um voluntário do banco nacional.


 SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

Últimas

Com ritmo atual, universalização do saneamento ocorrerá em 2070

São 37 anos de atraso em relação ao marco...

Governo de São Paulo lança campanha para reduzir mortes de pedestres

Campanha educativa com o filósofo e professor Clóvis de...

Festival do Japão atrai 200 mil pessoas em São Paulo

Evento contou com apresentações, comidas típicos e produtos artesanais No...

Com ritmo atual, universalização do saneamento ocorrerá em 2070

São 37 anos de atraso em relação ao marco legal brasileiro Pesquisa do Instituto Trata Brasil, divulgada na segunda-feira (15), mostra que a universalização do...

Governo de São Paulo lança campanha para reduzir mortes de pedestres

Campanha educativa com o filósofo e professor Clóvis de Barros Filho destaca a importância do respeito à faixa de segurança Nos últimos cinco anos, 33.531...

Festival do Japão atrai 200 mil pessoas em São Paulo

Evento contou com apresentações, comidas típicos e produtos artesanais No segundo final de semana de julho, mais de 200 mil pessoas visitaram o 25º Festival...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui