Voluntários entregam mensagens de acolhimento para passageiros das Linhas 4-Amarela e 5-Lilás do Metrô

0
17

Ação preparada por voluntários do Projeto Help tem por objetivo dar apoio e oferecer assistência a pessoas que apresentam quadros depressivos e ansiosos, já que a pandemia colaborou para crescimento de casos


O Projeto Help preparou para abril e maio uma ação especial de apoio a pessoas que estão abaladas psicologicamente. Voluntários do projeto elaboraram milhares de mensagens de acolhimento, a serem oferecidas em parceria com a ViaQuatro e a ViaMobilidade, concessionárias responsáveis pela operação e manutenção das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, respectivamente. As mensagens serão colocadas nos nichos de leitura de algumas estações nos dias 26 de abril, 3 e 10 de maio, para serem retiradas pelos passageiros.

Atualmente, com as medidas de restrição do governo para evitar o contágio da covid-19, o atendimento presencial foi substituído pela distribuição das cartas. Nas mensagens também consta o telefone 4200-0034, para quem precisar conversar com um voluntário. Paralelamente a essa ação, nos nichos de leitura das 27 estações da ViaQuatro e da ViaMobilidade, os passageiros encontram livretos contendo informações científicas sobre depressão e saúde mental.

O Projeto Help costumava atuar presencialmente nas estações de metrô. Nas ações, os passageiros podiam conversar com os voluntários no “Cantinho do Desabafo”, um espaço reservado para uma escuta fraterna, segundo Carlos Eduardo Ferreira de Souza, o Cadu, coordenador do Projeto Help, uma iniciativa criada em São Paulo há mais de 10 anos por integrantes da Força Jovem Universal.

O voluntário ouve a pessoa sem julgar, motivando-a a encontrar saídas para o que a aflige. Os desabafos giram em torno de temas como saúde, questões financeiras e dificuldade de relacionamento – situações que se exacerbaram com a pandemia de coronavírus. “Essas questões muitas vezes são gatilhos para problemas depressivos sérios, que podem colocar em risco a saúde da pessoa”, alerta Cadu.

Cadu avalia que o momento pede atenção especial. Segundo ele, nos primeiros meses do ano passado, apenas 5 pessoas procuraram o “Cantinho do Desabafo” na Estação Largo Treze, um dos pontos da ação. Em setembro de 2020, com a pandemia já consolidada, o projeto recebeu 30 pessoas no cantinho da Estação Capão Redondo.

Somando todas as escutas realizadas em 2020, a média de atendimentos nas linhas foi de 65 pessoas. Para se ter uma ideia do crescimento, apenas em janeiro e fevereiro deste ano o cantinho recebeu 40 pessoas.

Em diversas situações, durante a escuta, os voluntários orientam a pessoa a buscar ajuda especializada. O resultado surpreende os integrantes do projeto. “Muitos só precisam ser ouvidos”, diz Cadu. Para outros, no entanto, o atendimento não se encerra ali. Ele relata dois casos recentes, ocorridos em Capão Redondo. “Recebi dois rapazes em muito sofrimento, dispostos a desistirem de tudo. Um deles me procurou depois, na madrugada, desesperado”. A conversa e o apoio o fizeram se acalmar e a enxergar perspectivas.

Para fazer parte do grupo, composto por pessoas jovens que, na maioria, superaram problemas psicológicos, os voluntários passam por um treinamento com especialistas da área da saúde mental.

“Em um momento como este que estamos vivendo, o apoio a quem está enfrentando problemas é essencial e, de fato, pode transformar vidas”, diz Juliana Alcides, gerente de Comunicação e Sustentabilidade da ViaQuatro e da ViaMobilidade.


Dias 26 de abril e 3 e 10 de maio – das 10h às 16h: nas estações São Paulo-Morumbi, Butantã, Pinheiros, República e Luz da Linha 4-Amarela

Dia 26 de abril – das 10h às 16h: nas estações Capão Redondo, Campo Limpo e Largo Treze da Linha 5-Lilás

Dias 3 e 10 de maio – das 10h às 16h: nas estações AACD-Servidor, Hospital São Paulo e Santa Cruz da Linha 5-Lilás


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.