Unicamp empresta 16 cilindros de oxigênio para hospitais do Estado de SP

0
34

Empresas e universidades paulistas participam da rede de solidariedade que doa e empresta oxigênio aos hospitais do Estado. Dados do Conselho Municipal de Secretários da Saúde mostram que 120 cidades paulistas estão em crise de abastecimento


De acordo com o Conselho Municipal de Secretários da Saúde, 120 cidades do Estado de São Paulo estão com nível crítico de abastecimento de oxigênio diante do agravamento da pandemia da Covid-19. A informação, no entanto, foi negada pelo governador do Estado.

“Oxigênio não faltará em SP. Não falta, e não faltará. Temos usina e temos abastecimento. O que nós precisamos é de cilindros. Para que esses cilindros possam chegar até a ponta, nas pequenas UBSs”, afirmou João Doria.

Diante disso, o Governo de São Paulo anunciou a compra de 2 mil cilindros de oxigênio que serão enviados para os municípios do Estado.

Desde o início do mês de março, várias cidades do Brasil têm sofrido com a falta de oxigênio nos hospitais e muitos governantes temem que as cidades passem pelo que aconteceu em Manaus em janeiro, que registrou várias mortes por causa da falta de oxigênio.

Então, muitas empresas que utilizam oxigênio para produzir seus materiais têm doado seus estoques e cilindros para hospitais. As universidades do Estado de São Paulo também entraram nessa onda de solidariedade.

Um exemplo é a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que emprestou 16 cilindros cheios para o Estado de São Paulo. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico ainda vai coletar 119 ‘cascos’ para abastecer e distribuir aos municípios paulistas.

“O estado está passando por uma crise de distribuição de oxigênio por conta do aumento da demanda. Vários municípios passaram a entrar em fase crítica de pessoas internadas. Através do CRUESP [Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas], a Secretaria de Desenvolvimento do estado solicitou às universidades que providenciassem o empréstimo dos cilindros. As três universidades paulistas estão ajudando com esse esforço”, observa o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Munir Salomão Skaf.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.