Técnica em enfermagem cria projeto artístico para ajudar pacientes com transtornos mentais

0
16

O projeto “Pintando o sete” foi criado para estimular pacientes ociosos. Inicialmente, a técnica em enfermagem Benedita da Silva utilizou o crochê e a pintura em tecido e depois partiu para as artes plásticas. A profissional acredita que a arte promove o bem-estar e equilíbrio


Desde 2003, o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do Itaim Bibi tem um projeto conhecido como “Pintando o sete”. A ideia é que os pacientes, principalmente os ociosos, explorem sua própria criatividade.

O projeto começou por iniciativa da técnica de enfermagem Benedita da Silva, que queria dar mais estímulos aos pacientes atendidos na unidade. Então, a profissional levou crochê, depois a pintura em tecido e, para aprender mais técnicas, ela mesma fez um curso de artes plásticas.

Benedita trabalhou no Caps Itaim Bibi entre 2002 e 2015, mas até hoje, aos 66 anos de idade, participa como coordenadora técnica para que o projeto não termine. “Faço porque gosto, fiz o que eu pude e acho que já fico tranquila em me aposentar sabendo que fiz a diferença na vida de alguém”, diz a técnica em enfermagem, que conseguiu uma verba para financiar os materiais, depois de ter feito várias rifas.

A história e as técnicas usadas por Benedita para cuidar da saúde mental da população paulistana são um alento neste tempo de pandemia já que, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, houve um aumento de 82% no número de novos casos de transtornos mentais, registrados em consultórios particulares, entre os meses de agosto e novembro de 2020.

Na rede pública, a Prefeitura estima que o atendimento mental cresceu 116% em 12 meses, durante a pandemia da Covid-19. Nos 95 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) da cidade de São Paulo, a procura por atendimento mental foi muito maior: de 24 mil em setembro de 2019 para 52 mil em outubro de 2020.

No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde afirma que não é possível comprovar que o aumento da procura por atendimento mental tenha relação com a pandemia.

Todos os anos, os Caps se reúnem para a Festa de Atividades Desportiva e, para Benedita, utilizar a arte para cuidar da saúde mental é uma forma de escapar da rotina e se manter bem. “A arte, assim como a saúde, promove o bem-estar e equilíbrio. Ajuda muito na recuperação dos pacientes. Sinto que estou fazendo uma contribuição para a sociedade e isso me completa”, afirma.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.