Profissionais do Consultório na Rua atendem mais de 5 mil pessoas em situação de vulnerabilidade por dia

0
48

O Consultório na Rua está ligado a atenção primária da rede básica de saúde. Assim, todas as equipes estão inseridas dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) mas fazem o atendimento nas ruas da cidade de São Paulo. São 25 equipes compostas por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, auxiliares de enfermagem e agentes de saúde


Cerca de 5 a 6 mil pessoas são atendidas, por dia, por 25 equipes do Consultório de Rua, programa da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto, criado em 2004 para dar atendimento médico a pessoas que estão em situação de rua.

“Hoje nós temos, no município de São Paulo, 101 equipamentos sociais atendidos pelo Consultório na Rua e a equipe é composta por médico, enfermeiro, assistente social, psicólogo, auxiliar de enfermagem, agentes de saúde, com o diferencial do Bom Parto que todos os nossos agentes também são egressos da situação de rua e isso faz todo o diferencial no vínculo e na abordagem com as pessoas em situação de rua. Os agentes sociais também trabalham em conjunto com os assistentes sociais nessa busca da reinserção”, explica Mônica de Fátima Vieira, interlocutora técnica do Consultório na Rua pelo Bom Parto.

O Consultório de Rua está ligado a atenção primária da rede básica de saúde. Assim, todas as equipes estão inseridas dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) mas fazem o atendimento nas ruas da cidade de São Paulo.

“Fazemos acompanhamento de pré-natal, tuberculose, diabetes, gestantes, crianças. Contando com consulta médica, enfermagem, atendimento psicológico”, diz Mônica.

A enfermeira Eliana Cristina dos Santos acredita que o vínculo com as pessoas em situação de vulnerabilidade é essencial para realizar um bom atendimento médico. “Depois que é feito o vínculo, aí é tudo mais fácil. Até costumo falar pra eles que eu entro numa cena de uso crack como se eu tivesse entrando em casa. Muitas vezes fazemos a coleta de exames, as auxiliares fazem essa coleta de exames lá mesmo porque existe uma resistência pra ele sair daquele local que ele está e vir até a unidade fazer. O nosso intuito é esse: trazer ele para dentro da unidade, para ser feito todo o atendimento aqui. Mas nem sempre é possível”.

O Consultório na Rua atende em todas as regiões da capital paulista e tem mais de 15 mil pessoas cadastradas. No ano passado, o número de colaboradores foi ampliado em 75%, o que também aumentou os atendimentos para 80%.

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, até outubro de 2020 foram realizadas 447.797 consultas.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.