Posto de Acolhimento para Mulheres em Situação de Violência começa a funcionar no Terminal São Mateus da EMTU

0
21

Uma equipe composta por profissionais de nível superior que atuam nas áreas da Saúde e Assistência Social vão acolher e orientar mulheres vítimas de assédio e agressões nos casos de violência doméstica


No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, um Posto de Acolhimento de Mulheres em Situação de Violência começou a funcionar no Terminal Metropolitano São Mateus, gerenciado pela EMTU e administrado pela concessionária Metra. O serviço é parte do projeto “Por Elas Pelo Olhar Ressignificamos”, em que diversas entidades se reuniram para organizar ações de conscientização e apoio a mulheres vítimas de violência.

É o primeiro espaço com esta finalidade no Corredor Metropolitano ABD, via segregada de transporte por ônibus que conecta as regiões leste e sul da capital paulista a quatro municípios do ABC, ao longo de 45km de extensão.

Uma equipe composta por profissionais de nível superior que atuam nas áreas da Saúde e Assistência Social vão acolher e orientar mulheres vítimas de assédio e agressões nos casos de violência doméstica. Elas serão encaminhadas às Unidades Básicas de Saúde, aos Núcleos de Prevenção à Violência (NPV) e a equipamentos municipais como Delegacia de Defesa da Mulher e outros serviços, quando necessário.

O espaço, localizado na Plataforma D do terminal, oferece a privacidade necessária para os atendimentos que, nesta fase inicial, estarão disponíveis às segundas feiras das 9h às 12h. Localizado na Avenida Adélia Chohfi, 100 – bairro Jardim Vera Cruz, o Terminal São Mateus recebe diariamente cerca de 200 mil passageiros. Passam por lá três linhas metropolitanas e 28 municipais de São Paulo.

Os Postos de Acolhimento de Mulheres em Situação de Violência têm como objetivos definidos:

  • proporcionar atendimento integral e humanizado;
  • legitimar a legislação voltada a prevenção da violência;
  • compor uma linha de cuidados e prevenção à violência;
  • incentivar a busca dos direitos por meio da conscientização;
  • promover um espaço de acolhimento para mulheres em situação de violência;
  • divulgar e encaminhar para os serviços da rede que compõe a Linha de Cuidado;
  • fortalecer a mulher para reestabelecer o cuidado com a saúde mental e bem estar;
  • ampliar a divulgação para a população em geral sobre a importância de falar sobre o assunto;
  • proporcionar apoio psicossocial e orientação sobre como proceder em casos de violações de direitos;
  • contribuir para o fortalecimento das mulheres a fim de proporcionar o reconhecimento das situações de violências.

Violência contra a Mulher

No Estado de São Paulo, o número de medidas protetivas concedidas pela Justiça para vítimas de violência doméstica tem aumentado nos últimos anos. De 2018 para 2020, houve crescimento de 73%, segundo dados do Tribunal de Justiça de São Paulo. O aspecto positivo é que cada vez mais mulheres se encorajam a pedir ajuda e romper o ciclo da violência.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.