Plano de Chuvas de Verão 2020/2021 da Prefeitura prevê limpeza urbana e controle de danos

0
52

Segundo a Prefeitura, o prefeito chega ao novo mandato com a entrega de apenas 10 novos piscinões, equipamentos usados para armazenar a água da chuva. Durante todo o ano, para reduzir os impactos da chuva para o verão seguinte, equipes realizam limpeza de córregos, microdrenagem, conservação de galerias e poda de árvores


Todo início de ano, a população da cidade de São Paulo sofre com o mesmo problema: alagamentos e enchentes. Milhares de pessoas perdem suas casas, móveis, carros e motocicletas e até mesmo suas vidas quando são levadas pelas enxurradas que tomam as principais avenidas da cidade e transbordam córregos.

Um dos objetivos do Plano de Chuvas de Verão 2020/2021 é reduzir as áreas de alagamento da cidade com ações preventivas (limpeza urbana para evitar possíveis enchentes) e corretivas (controlar os danos causados por pontos de alagamento), monitorando 1.269 pontos para melhorar o escoamento da água com limpeza intensificada em mais de 8 mil bueiros e bocas de lobo.

Para conter a água das chuvas, a cidade tem mais de 30 reservatórios que podem armazenar até 1,5 milhão de m³ de água. Em 2017, quando o prefeito Bruno Covas assumiu a prefeitura no lugar de João Doria, ele prometeu entregar 19 piscinões até o fim de sua gestão. Segundo a Prefeitura, o prefeito chega ao novo mandato com a entrega de apenas 10 novos piscinões e quatro pôlderes. Anteriormente, foram entregues 8 piscinões e um pôlder, o que representa um aumento de 44% no número de equipamentos, de acordo com a gestão municipal.

Durante todo o ano, para reduzir os impactos da chuva para o verão seguinte, equipes da Prefeitura realizam limpeza de córregos, microdrenagem, conservação de galerias e poda de árvores. Segundo a Secretaria Municipal das Subprefeituras, a quantidade de detritos removida dos córregos foi 196% maior em 2020 do que em 2019; também no ano passado, as ações de limpeza de galerias e ramais percorreram uma extensão 23% maior do que em 2019. E a poda de árvores teve um aumento de 51% em 2020, em relação a 2019.

“A contribuição da população é fundamental durante esse período de chuvas. Os sacos de resíduos devem ser colocados nas calçadas o mais próximo possível do horário da passagem do caminhão coletor, evitando que os resíduos ensacados fiquem expostos por muito tempo nas vias. Para coleta domiciliar diurna, os resíduos devem ser dispostos em até duas horas antes do horário da coleta, e para coleta domiciliar noturna, os sacos devem ser dispostos somente após às 18h”, informa a Prefeitura.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.