Governo estadual inicia programa de atendimento psicológico para professores

0
11

Cerca de 1.000 profissionais da Psicologia vão dar atendimento psicológico aos professores das 5.100 escolas do Estado. Se identificarem sinais de traumas e abusos entre os alunos, os psicólogos devem orientar gestores e coordenadores das escolas


Desde março de 2020, pessoas do mundo inteiro estão trabalhando de suas próprias casas para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Essa rotina de trabalhar em casa tem deixado muitas pessoas estressadas, principalmente profissionais da área da educação.

Dar aulas pela internet não é fácil. É preciso ter um bom equipamento, boa conexão de internet, saber utilizar as plataformas virtuais e ter uma dinâmica equilibrada para que os alunos não percam o interesse nas aulas.

Certo é que muitos professores estão vivendo uma rotina cansativa, não apenas fisicamente, mas mentalmente.

Para tentar minimizar a situação e dar auxílio a estes profissionais, o Governo do Estado de São Paulo iniciou o Programa Psicólogos na Educação. Cerca de 1.000 profissionais da Psicologia vão dar atendimento psicológico aos professores das 5.100 escolas do Estado.

“O atendimento será feito de maneiras virtual e presencial e o objetivo é contribuir para a melhoria da convivência e do ambiente escolar.  Todas as escolas da rede estadual serão beneficiadas”, garantiu o governador João Doria.

Cada escola poderá ter entre 2 a 20 horas semanais de atendimento psicológico, totalizando 160 mil horas mensais nas 5.100 unidades de ensino. O investimento será de R$ 5 milhões por mês.

Os atendimentos ocorrem por vídeo chamada. Diretores, vice-diretores e professores coordenadores já podem realizar os agendamentos pelo site da Secretaria Escolar Digital: https://sed.educacao.sp.gov.br

Os psicólogos participantes do Programa têm experiência na área educacional e, além disso, vão receber formação para apoiar o Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva-SP) e também o projeto pedagógico das equipes escolares.

Se identificarem sinais de traumas e abusos entre os alunos, os psicólogos devem orientar gestores e coordenadores das escolas. “A prioridade é que os psicólogos atuem em atividades coletivas que contribuam para a melhora de todo o ambiente escolar. O serviço será prestado pela empresa Psicologia Viva. As equipes das Diretorias de Ensino e da Secretaria de Educação vão fazer o monitoramento e avaliação da atuação dos psicólogos e da melhoria do convívio escolar na rede pública”, informou o Governo Estadual.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.