Fórum Zona Sul reúne e premia movimentos sociais que ajudaram a sociedade na pandemia

0
44

O evento reuniu representantes de diversos setores da sociedade para apresentar instituições e trocar informações e experiências que podem contribuir na construção de uma sociedade mais igualitária


Para promover uma articulação intersetorial, com entidades diferentes e de vários lugares da cidade de São Paulo, a Associação Aprisco e a ONG ORPAS realizaram o 1º Fórum Zona Sul nesta terça-feira (15).

O evento reuniu representantes de diversos setores da sociedade para apresentar instituições e trocar informações e experiências que podem contribuir na construção de uma sociedade mais igualitária.

“Isso não é um fórum religioso. Deus não é evangélico, Ele trabalha nas pessoas. E nessa pandemia começamos a entender a real necessidade das pessoas. Nós da sociedade precisamos fazer política, a responsabilidade de viver na sociedade é nossa. Se nós começarmos a atuar agora, criaremos um lugar melhor pros nossos filhos”, refletiu Anderson Gonçalves, capelão da ONU, presidente da Associação Aprisco e pastor na igreja King Church.

Um dos principais articuladores sociais da cidade de São Paulo, Daniel Faria, fundador da ONG ORPAS, refletiu sobre a necessidade de a sociedade ser mais empática com os menos favorecidos. “Nós, enquanto sociedade, indivíduos, políticos, seres humanos: nós falhamos. Com tanta insensibilidade, não podemos dizer que a sociedade deu certo: temos a Cracolândia, temos mães que não conseguem dar alimento pros seus filhos. Qual o caminho para a reconstrução social? Do altruísmo. Esse esforço de refletir me dá ânimo. Se a gente tiver esse senso de urgência, a gente transforma a cidade de São Paulo”, disse Daniel Faria, fundador da ORPAS.

Representantes da Zona Sul também participaram do evento. O subprefeito da Capela do Socorro, Valderci Malagosini, admitiu que o extremo da Zona Sul necessita de urgência e prioridade para resolução de muitos problemas.

“Nós temos uma luta na região. Nossa região é carente. Eu moro aqui há 27 anos e o fundão nosso está super degradado. Temos poluição ambiental, invasões e loteamentos clandestinos. A gente tem que encurtar distâncias para equilibrar a sociedade com oportunidades igualitárias”, disse.

Recém eleito vereador, o empresário Marcelo Messias prometeu que, através do aprendizado que obteve quando foi assessor do vereador e vice-prefeito eleito, Ricardo Nunes, vai trabalhar pelas pessoas.

“Estou feliz pelo convite de participar do fórum. Meu primeiro fórum é onde eu passei a infância. Nessa caminhada com o Ricardo eu descobri como posso contribuir para a cidade. A Zona Sul tem muitas necessidades, avançamos muito no mandato do Ricardo Nunes, mas tem muito a fazer. Eu prometo trabalhar muito pelas que precisam e pela cidade que eu amo”, afirmou Messias.

Como o foco do evento também era falar sobre desemprego e exclusão social na Zona Sul, o presidente da Associação Empresarial da Zona Sul apresentou a instituição e suas oportunidades. “Nessa gestão criamos o banco de vagas: a pessoa entra no site e cadastra seu currículo, que é repassado aos associados. E temos as bases para empreendedores saberem o que podem fazer pelo seu negócio. Nós temos a condição de recolocar funcionários e trazer pessoas que querem empreender”, explicou Dario Santos.

Durante o evento, pessoas e instituições que trabalharam na pandemia para ajudar a população foram premiadas com troféu de Destaque Social 2020: Anderson Gonçalves, presidente da Associação Aprisco; Daniel Faria, fundador da ONG ORPAS; Cristina Santos, da ONG Resiliência; Ricardo Borges, da ONG Liga em Combat; Alisson Bastos, da ONG Arca de Noé; Valderci Malagosini, subprefeito da Capela do Socorro; Marcelo Messias, vereador eleito; Dario Santos, presidente da AESUL.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.