Enel doa 11 toneladas de produtos orgânicos para comunidade de Paraisópolis

0
126

Com as doações, o Bistrô Mãos de Maria consegue manter a capacidade de distribuição de marmitas para a comunidade, já que com a pandemia, as doações de alimentos diminuíram para doar refeições aos moradores  


A Enel, empresa responsável pela energia elétrica em São Paulo, doou 11 toneladas de produtos orgânicos para o Bistrô Mãos de Maria, da comunidade de Paraisópolis, na Zona Sul da capital.

De acordo com a empresa, com as doações, o Bistrô Mãos de Maria consegue manter a capacidade de distribuição de marmitas para a comunidade, já que antes da pandemia cerca de 7 mil marmitas eram distribuídas e, com o isolamento social e a queda nas doações, o número de refeições doadas caiu para 4.500 por dia.

Projeto Enel Compartilha Hortas em Rede

A empresa também informou que “mantém a atividade econômica dos agricultores que fazem parte do projeto Enel Compartilha Hortas em Rede, responsáveis pela produção dos alimentos nas hortas localizadas nos terrenos da distribuidora na Zona Leste da capital”.

Este projeto, Enel Compartilha Hortas em Rede, teve início em 2019 em parceria com a ONG Cidades Sem Fome. “Atualmente, duas hortas estão ativas com produção constante e têm 19 beneficiários diretos. Desde o início do projeto, as hortas já produziram mais de 95 mil toneladas de vegetais e distribuíram cerca de R$ 200 mil de renda aos agricultores participantes”, informou a Enel.

Agora, parte da produção do projeto Enel Compartilha Hortas em Rede será destinada ao Bistrô Mãos de Maria. “Com a doação da produção das Hortas em Rede, estamos retomando nossa capacidade anterior, podendo atender mais pessoas da comunidade”, celebra Juliana da Costa, sócia do Bistrô Mãos de Maria.

HORTA COMUNITÁRIA DE PARAISÓPOLIS

Em outubro, Paraisópolis, a segunda maior comunidade da capital paulista com cerca de 100 mil habitantes, inaugurou uma horta comunitária. O projeto foi desenvolvido pelo Instituto Escola do Povo, em parceria com o Instituto Stop Hunger e a Sodexo.

São mais de 60 espécies de hortaliças e frutas plantadas em um espaço de 900 m² que vai impactar mais de 1.000 pessoas que moram na comunidade. O local será cuidado por mulheres moradoras de Paraisópolis e que foram vítimas de violência doméstica, com o objetivo de emponderá-las com o ensino de técnicas de cultivo e reutilização de resíduos sólidos para serem usados como fertilizantes.

“O objetivo é habilitar essas mulheres para que levem o plantio de hortaliças para dentro de suas casas e assim contribuam para melhorar a qualidade da alimentação de suas famílias. A parceria do projeto foi iniciada em 2019 e tem como objetivo melhorar a qualidade dos alimentos consumidos pelos moradores”, explica Fernando Cosenza, vice-presidente de Marketing Estratégico, Inovação e Digital da Sodexo, empresa mantenedora do Instituto Stop Hunger.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.