Empresas se unem para combater o racismo estrutural no Brasil

0
47

Depois que um homem negro foi morto por seguranças brancos em um supermercado de Porto Alegre, várias empresas se uniram para criar um plano de ação de combate ao racismo. Outras empresas vão fazer um curso antirracismo para 40 mil funcionários


Depois que João Alberto Silveira Freitas, homem negro, foi morto por dois seguranças brancos no estacionamento de uma unidade do supermercado Carrefour na capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, várias empresas (que vendem seus produtos no Carrefour) se juntaram para combater o racismo estrutural no Brasil.

A iniciativa começou com um manifesto enviado ao Carrefour cobrando por medidas efetivas para equidade racial. As empresas BRF, Coca Cola, Pepsico, Danone, General Mills, Heineken, JBS, Kellogg, L’Oreal, Mars, Mondeléz International e Nestlé propõem o fortalecimento de um compromisso com ações concretas para combater o racismo estrutural.

“Criaremos um plano de ação em parceria com organizações e especialistas que possuem um conhecimento legítimo dessa causa. Tornaremos o documento público o mais rápido possível — e prestaremos contas regularmente. Reconhecemos que temos de mudar essa realidade e convidamos outras empresas e indústria a se unirem nesse compromisso pela equidade racial”, revela o manifesto.

Em outro ponto da luta para acabar com o racismo no Brasil, a ViaVarejo, maior rede de lojas de eletrodomésticos do Brasil (Casas Bahia, Ponto Frio e Extra), vai realizar um curso antirracismo para capacitar 40 mil funcionários em todo o país.

“Respeito é um princípio que não abrimos mão, é um valor inegociável. O Ponto Frio já treina todos os seus funcionários, e agora daremos um passo além com um curso sobre Antirracismo […] Todos os 40 mil funcionários da @viavarejo serão novos antirracistas!”, disse Bruno Mendes, gerente de uma loja do Ponto Frio em Minas Gerais e garoto propaganda do curso.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.